Tendências. Há melhor tempo pra falar delas do que em plena semana de moda? O SPFW começou (clica pro line-up) e o Fashion Rio terminou, fazendo-nos começar a escrever a lista de rumos a ser seguidos no próximo inverno. Entre eles, muito preto, o adorado brilho (glitter, paetês, lurex), volume (em saias, em ombros), comprimentos curtos, tecidos quentes como tricô, crochê, lã e pele, entre outros. Fico devendo post do Fashion Rio, mas adianto que achei Melk Z-Da muito bonito. E da SPFW, meu favorito até agora é Rosa Chá, único cujas fotos vi decentemente (tem post aqui no MyCool!).

Enfim. Quem mexe com moda sabe: ela não vive sem tendências para se agarrar, para ditar (hoje em dia mais livremente) que direção seguir na hora de vestir-se. Mas quem sabe quando elas começaram?

Bem… No livro “História da Moda – uma narrativa” (um dos maravilhosos livros que ganhei de Natal), João Braga explica, brevemente, que a moda começou a ter seu conceito atual aproximadamente no início da Idade Moderna: os nobres, ao verem suas roupas copiadas à exaustão pela burguesia, apresentavam ideias novas para seus alfaiates, e usavam-nas até serem copiadas novamente pela outra classe. E aí foi criado um ciclo de criação e cópia — se algo em voga era copiado, logo uma criação nova aparecia (nobreza trendsetter, olhem só!).

A estória da nobreza se irritar ao ver seus gostos usados pelos burgueses, levando à criação de uma nova moda para que houvesse diferenciação entre as classes não soa familiar? — Obs: no que toca às tendências, não cópia e criação! — Hoje em dia, é claro que de um modo bem mais relax, isso ainda acontece… Ou vai dizer que não é chato ver um gosto ou uma peça que você adora ser usada por todo mundo? Uma vez li (não lembro onde, sorry!) que assim que o resto do povo adota uma tendência, os fashionistas largam-na. Verdade ou não, agradeçamos à moda que novas tendências são lançadas — ou revisitadas — para fazer aquela outra sair de foco. E aí a roda da moda vai girando, sempre com novas opções pra adicionar ao estilo nosso de cada dia, a cada estação.

Resumindo, a moda é isto: a criação (e recriação) de gostos, para cada um exteriorizar o que pensa, o que gosta, o que é. E das “novas modas” inventadas pela nobreza trendsetter do finzinho da Idade Média derivaram as tendências! Tcharam! hahaha

P.S: Mais posts falando sobre tendências: aqui no Bainha de Fita-Crepe, sobre tendências tangíveis e intangíveis (ótimo!) e aqui no Fashionismo, sobre tendências x cópias. Boa leitura!

Anúncios

Notinhas aleatórias

junho 3, 2009

O movimento de posts no blog tá fraco devido à falta de criatividade dessa que vos escreve, pois sim. Então a solução temporária é… uma listinha de notinhas aleatórias!  

. Gisele Bundchen musa-de-todos-nós respondeu um questionário pro Style.com… e entre outras coisas, a gente descobre que seu ícone de estilo é Cate Blanchett, que ela adora um Big Mac (!), que sua marca favorita de jeans é a Notify e que seu restaurante favorito é o Caviar Kaspia em Paris! Pra quem está na cidade-luz, o endereço é 17, Place de la Madeline.

. É inevitável: depois do não-beijo no Movie Awards (que virou minha cena favorita do dia), Kristen Stewart e Robert Pattison ganharam meu coração. Até o All Star no red carpet da moçoila eu perdoei. E Rob… alguém me diz onde encontrar um clone dele no mundo?

. Falando no vampirinho… meninas, cliquem aqui e se derretam com as fotos dele (sem camisa, vale comentar) no set de New Moon, o segundo filme da saga Twilight!

. Preparem-se, fashionistas: depois da Casa de Criadores, Fashion Rio e SPFW estão chegando. Pros blogueiros de plantão que querem aprender a ter um olhar mais apurado sobre os desfiles, leia esse post do Ricardo Oliveros, do Fora de Moda, sobre análise e crítica de moda. É incrível!

. Marketing pessoal: moda e música andam unidos (mais sobre isso later), né? Pois semana passada eu resolvi postar lá no MyCool sobre Elly Jackson, do La Roux, e seus vídeos musicais cheios de referências dos anos 80 em meio a elementos futurísticos. Eu achei que dá um efeito ótimo. O que vocês acham? 

Forget Bella: kiss me, Edward!

Síndrome de Rapunzel

setembro 9, 2008

Os desfiles de Alexandre Herchcovitch, Animale, Maria Garcia, Isabela Capeto, Totem, Movimento e Erika Ikezili já avisaram: tranças são tendência e serão o penteado do verão.

Tranças na passarela (clica que aumenta!)

Eu adoro tranças. Hoje mesmo fiz uma pra sair por aí, e alguns dias atrás fiz coque rápido com trança do lado à la Lauren Conrad. Elas podem servir de opção para aquelas que não usam acessórios como tiaras, faixas e presilhas no cabelo, mas que ainda assim querem inovar no dia-a-dia. Pra quem não sabe fazer bem, não esquenta: aqui no Chic tem matéria ensinando e tem vários vídeos “how to” legais no YouTube — eu aprendi a fazer a espinha-de-peixe com um vídeo, acreditam?

Rapunzel versão celebs

Be Inspired: Nicole Richie fez coque baixo bagunçadinho com tranças simples de lado, bem boho. Já LC deixou o cabelão solto, mas com uma trancinha de cada lado para enfeitar. Mary Kate fez uma trança bem fina e delicada, e Rachel Bilson (não faço idéia como!) fez uma tiara… da trança!

Tranças são ótimas para o famoso bad hair day: dão aquela domadinha no cabelo de maneira super feminina, e ficam no lugar o dia inteiro com a ajudinha de um pouco de laquê ou mousse. Sendo simples, embutidas (as french braids) ou espinha-de-peixe (que eu a-do-ro!), certinhas ou desarrumadas, de raiz, soltas ou incorporadas no penteado, elas mudam o visu dos cabelos no ato, mesmo quando se fez um simples rabo-de-cavalo para ir à esquina. E convenhamos, quem não gosta de ir à esquina se sentindo bonita?

Fotos: Chic, Just Jared

UPDATE: Foto da espinha-de-peixe bagunçadinha que eu fiz pra sair hoje: